Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

100 Borboletas no estômago

100 Borboletas no estômago

Dom | 22.03.20

Liberdade para voar

Tânia Garcia

Pois é...

Liberdade...

Uma palavra com o peso do mundo. 

Nós não somos livres.

É mito e as migalhas de soltura que nos vão dando, tapam-nos a visão para o essencial.

E como dizia o Principezinho " o essencial é invisível aos olhos..." 

Ainda há uma maratona a percorrer até chegar à Liberdade.

Liberdade não é ser mal educado, liberdade não é ser idiota com o próximo. 

Liberdade é respeitar tudo e todos de igual modo e sentir-me livre nas minhas escolhas e atitudes.

Numa sociedade cada vez mais machista, educo a minha filha para nunca precisar de um príncipe para ser salva.

Educo para ser livre, independente,  dona do seu nariz...

Educo para nunca se condicionar a nada nem a ninguém, para não se prender por amor e por dinheiro.

Para viver cada dia com a certeza que a felicidade está lá. 

Tenho mil e um obstáculos pelo caminho. 

A minha bagagem por vezes pesa tanto que tenho pausa para respirar.

A seguir sigo o embalo da marcha e faço-me à estrada antes que anoiteça. 

No caminho vou compondo a vida e deixo os ensinamentos que vou absorvendo aos meus rebentos.

Dela espero tudo, com ela sou mais exigente. 

Não é fácil ser mulher num país de homens.

E precisamos de mulheres fortes, de pelo na venta e coração puro. 

É e sempre será a minha companheira. 

Cresci com ela e ensinou-me tanto que nunca conseguirei retribuir.

Dele espero que saiba ouvir. 

Espero que seja o homem que toda a mulher precisa. 

Espero que saiba dar um passo em frente para a vida e um passo atrás para respeitar o próximo. 

Que saiba que Não é Não. 

Que a vida é e sempre será aquilo que plantamos e colhemos.

Cabe-lhe a ele a difícil tarefa de avançar, de criar,  de mover montanhas pela igualdade. 

De desfazer mitos e rótulos. 

E assim enquanto ainda andamos em biquinhos dos pés para não pisar os vidros do chão, avançamos lentamente para um mundo (espero eu!) melhor.