Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

100 Borboletas no estômago

100 Borboletas no estômago

Dom | 22.03.20

TPM (Tempo Para Melhorar)

Tânia Garcia

d2b24287a41b05801e6fa4901aed91be.jpgHoje acordei assim, melancólica e apreensiva.
Fui assaltada por sonhos à muito esquecidos mas que por fazerem parte da minha história volta e meia teimam a aparecer. Vêm assim de mansinho quase numa cruel ironia e como quem não quer a coisa entram e fazem-me uma rasteira e deixam-me sem saber como reagir de imediato porque me assustam, porque me metem medo, porque me mostram o que eu quero esquecer e não quero lembrar.
Sinto-me como se o ar me faltasse, mas até nos meus sonhos consigo arranjar forças para dar a volta por cima e sair de onde não fui feliz.
Seguido desses sonhos pretos, tenho sempre outros de alento onde gerelmente recebo quem já partiu mas não me deixará nunca só. 
Aquela pessoa que sabes que mesmo não estando fisicamente te deixou tanto que retornas sempre para ela quando algo te magoa. Aquela pessoa que te ama incondicionalmente e não espera nada em troca. Que aceita as tuas imperfeições como se dela se tratassem. Aquele colo e aqueles braços que sentes ainda como se fossem tão presentes em ti. Quem ama nunca esquece. Quem ama nunca parte. Fica sempre um pouco de si e leva sempre um pouco de nós. 
Hoje estou melancólica. Mas só hoje. Porque me dou o direito de um dia por mês ficar assim. Os maus momentos, esses ficam na gaveta dos fundos, onde ninguém mexe, no sítio deles. Não os quero trazer em mim. São como um filho renegado. Fazem parte de nós mesmo quando não os queremos. Hoje e só hoje acordei com uma lágrima de saudade. Hoje e só hoje acordei assustada. Hoje e sou hoje ficarei menos feliz que os outros dias todos. 
Afinal todos temos os nossos dias nublados certo?
Hoje acordei melancólica, mas amanhã o meu sol já irá brilhar e tudo será esquecido até ao próximo dia de melancolia.